domingo, 24 de junho de 2018

Às vezes eu tenho preguiça de fazer posts

Isso mesmo que você leu: eu tenho preguiça de fazer posts. Tenho várias ideias em mente, textos maravilhosos, projetos fantásticos, mas a vontade de escrevê-los se encontra mínima. Inclusive, comecei um texto para postar aqui há seis dias e até agora não terminei. Vejamos como a preguiça é um hábito ruim: deixar de fazer o que gostamos para não fazer nada se tornou um círculo vicioso. Estou procrastinando há meses para começar a estudar tanto para o ENEM, quanto para o vestibular e cada dia que passa sobe um arrependimento ainda maior por não conseguir estudar como gostaria. Afinal, a pergunta que não quer calar é: por que eu não estudo logo? Talvez porque eu me sinta pressionada demais. Terceirão é assim, meus caros: um novo desafio a cada dia. Confesso que meu terceiro ano não está sendo como o esperado. Se bem que até hoje não sei ao certo o que esperar do meu último ano na escola. Atualmente, a única coisa que espero é não rodar por falta. Mas e vocês, pessoas? Como andam? Muitos desafios pela frente? Muita preguiça? Me contem! Estou doida para saber. Foi isso, meus caros. Até mais!

quarta-feira, 30 de maio de 2018

Five: aqueles músicas 10/10

Olá, meus caros! Tudo bom?
E aí? Como anda a vida? Muito agitada? Por enquanto, meus dias tem sido monótonos. Afinal, minhas aulas só voltam semana que vem devido a greve, o que eu considero algo bom e ruim, já que suponho que minhas férias de inverno tenham ido para o brejo depois dessa. Enfim, hoje resolvi trazer algumas musiquinhas para você. Elas são algumas das minhas preferidas atualmente e as mais tocadas tanto do meu Spotify, quanto no meu celular. Então, bora conferir?

domingo, 20 de maio de 2018

Aquela famosa fase da vida em que você sabe tudo e ao mesmo tempo nada

Olá! E aí? Tudo bem?
Cheguei a conclusão de que tenho preguiça de entrar no computador de vez em quando. Talvez esse seja um dos motivos pela qual eu uso tanto o celular. Além do mais, poucas horas atrás, cheguei a um dilema: estou na fase da vida em que você sabe tudo e ao mesmo tempo nada. Eu sei que quero cursar Escrita Criativa, mas ainda não sei ao certo em que área poderei trabalhar; eu sei que quero escrever, mas não sei o quê; basicamente, é uma vida resumida em sei, mas não sei. Nunca pensei que chegaria a esse ponto, mas ao mesmo tempo me parece algo tão normal. Uma das poucas coisas que tenho em mente ultimamente é se é comum se sentir tão perdido de vez em quando. E vocês? Como se sentem atualmente? Muito perdidos ou muito achados? Me contem. Estou curiosa para saber. Enfim, nos encontramos em breve, meus caros.

segunda-feira, 30 de abril de 2018

Olá, meus caros, quanto tempo!

Faz um bom tempo que não resolvo dar as caras por aqui, então: olá, meus caros, quanto tempo! Mesmo sem dar as caras por um bom tempo, sinto que o blog fez falta nesses últimos anos. Foram muitas mudanças e muitos fatos que aprimoraram meu ser e alteraram meus pontos de vista e por mais que eu escrevesse sempre que desse na telha e fosse à psicóloga toda semana, ainda sinto que faltava algo e, finalmente, posso concluir que o Indie era esse buraquinho da saudade que morava dentro de mim. Bom, não há mais o que dizer além disso, mas saibam que pretendo encontrá-los novamente muito em breve. Afinal, tenho várias peripécias para relatar em Deusa da Destruição e muitas coisas nas quais transformar em palavras por aqui. Enfim, até mais, pessoal!.

sábado, 26 de novembro de 2016

Coisas que você não sabe

Oh, meu caro... Mesmo com meros oito meses de convivência, há tantas coisas que você ainda não sabe sobre minha pessoa. Não que eu goste de bancar a misteriosa, mas você sabe (ou será que não?) que eu insisto em guardar grande parte de mim para mim mesma, mas saiba que hoje resolvi abrir uma exceção para lhe confessar sobre meu verdadeiro eu. Em primeiro lugar, eu não sou tão fofa quanto aparento ser, assim como não sou tão amarga quanto minhas palavras doces. Ironicamente, eu não recebi o apelido de gato em vão, assim como não escolhi adquirir o péssimo hábito de dormir quando deveria estar acordando, pois eu não sei se você sabe, mas a ansiedade, além dos meus pensamentos, costumam espantar algo que chamamos de sono de certo alguém, também conhecido como eu. Não me recordo se já comentei isso com você, mas eu costumo me enrolar nas pessoas. Eu gosto de andar de mãos dadas com as pessoas; gosto de dar e receber abraços, além depositar inúmeros beijos na bochecha de seja lá quem for, mas sabe do que mais eu gosto? Desse seu jeitinho que me encanta, dessas suas palavras que me transformam em uma boba de carteirinha e do seu gato, que é mais esbelto que eu, mas em especial, eu gosto de você. Principalmente de você porque foi você quem me ajudou a me moldar, me montar, me modificar para fazer com que eu me transformasse, inesperadamente, nessa boba apaixonada que sou hoje.