segunda-feira, 20 de agosto de 2018

Deusa da Destruição: um pequeno histórico de estragos pt. 5

Guess who's back? Enfim, meus caros, trago a vocês a última parte de Deusa da Destruição: um pequeno histórico de estragos. Finalmente, né? Três anos depois, consegui completar a saga mais destruidora dessa blogsfera. Foram inúmeros estragos nesses meses em que estive fora do Indie, e confesso que rachei a cuca para relembrar ao máximo de tudo o que destruí nesse meio tempo. Mas e aí? Estão preparados para mais uma série de estragos e destruições vindas de ninguém mais, ninguém menos do que euzinha da Silva?

domingo, 12 de agosto de 2018

Afinal, realmente existem vantagens em ser invisível?

Agora são 20:59 e eu estou pensando seriamente em reler As Vantagens de Ser Invisível pela terceira vez na vida. Sem sombra de dúvida, é um dos meus livros preferidos, se não o meu preferido com direito a primeiro lugar no pódio do meu coraçãozinho. É aquele livro na qual você pensa: "nunca pensei que algo fictício fosse coincidir tanto com a minha realidade". O Charlie é aquele personagem que chega de fininho no seu coração e, quando vê, só dá ele lá. Falando no dito cujo, eu fico pensando em quais seriam as verdadeiras vantagens de ser invisível e se eu poderia ser considerado alguém invisível como ele, já que ele é um dos personagens que eu mais me identifico. Confesso que às vezes me sinto deslocada, tanto que esse é um dos principais motivos pela qual eu não gosto de ir à escola, e talvez seja um dos principais motivos que me levaram à pior das tristezas. Eu tenho vontade de sair, ir à festas, namorar, socializar com os coleguinhas, mas isso é algo que eu insisto em me privar por me sentir exposta demais e me encontrar totalmente fora da minha zona de conforto. Acho que estou tão acostumada a ficar em meu próprio casulo que a ideia de deixá-lo para trás me assusta. Usar uma blusa mais justa do que o que habitual me deixa visivelmente desconfortável, por isso sempre prefiro vestes grandes e largas, mesmo que elas sejam quase o dobro do meu tamanho. Enfim, por enquanto, ainda não sou capaz de encontrar as vantagens de ser invisível, mas as desvantagens estão aí para comprovar que ser invisível não tão bom quanto aparenta ser. E aí? Já se sentiu invisível hoje? Qual a sua descrição desse momento? Me conte! Estou doida para saber. Por enquanto é só, meus caros. Um beijo e até mais!

terça-feira, 17 de julho de 2018

Sobre dias entediantes à espera das férias e metas um tanto peculiares

E é ao som de Two Door Cinema Club que eu começo esse post sem algo específico em mente. Estou me remoendo para escrever algo aqui no blog há uns bons dias, mas sinto que as ideias se negam a aflorar. Mas e aí, pessoal, como estão? Já estão de férias? Infelizmente, ainda tenho mais uma semana de aula e só a partir de terça que vem terei o direito de usufruir do tempo que tenho para aproveitar a benção que os humanos chamam de férias. Falando em férias, fiz uma listinha de afazeres para esse tempo em que ficarei em casa e pensei em compartilhá-la com vocês. É algo bem básico, sem muito frufru.

1. Escrever, no mínimo, dois capítulos de Double Trouble.
Double Trouble é o nome de umas das histórias que estou escrevendo e é um dos meus principais projetos esse ano, portanto pretendo dar meu melhor para escrever o máximo que puder essa belezinha até o fim do ano.

2. Acordar às 8:00 e dormir às 22:30.
Além de ser mais uma tentativa de regular meu sono, acho que para aproveitar bem essas férias, tenho que acordar cedo, por isso estabeleci essa meta. Pretendo curtir ao máximo o tempo livre que tenho.

3. Fazer, no mínimo, 2 trailers.
Pois então, meus caros, eu faço trailer de fanfic e eu abri os pedidos recentemente e tenho alguns para fazer e como tempo livre é o que eu mais terei futuramente, pretendo gastá-lo fazendo aquilo que gosto. Momento propaganda: caso queiram ver alguns dos meus trabalhos, clique aqui.

4. Ir à Tia Kuka com a Joana.
Alô, alô, Joaninha! Quero tomar sorvete contigo mesmo que esteja frio! Bora marcar o dia e sair por aí, viver umas aventuras juntas e trocar umas palavrinhas!

5. Terminar de ler Fangirl.
Fangirl, sem sombra de dúvida, é um dos melhores livros que já peguei para ler. Além de me identificar extremamente com a personagem, o fato de tratar de assuntos um tanto geeks fazem com que eu me apaixone cada vez mais pela história, mas infelizmente o tempo anda curto para continuar minhas leituras, portante espero terminar de lê-lo nessa meio tempo livre.

6. Terminar de ler Peter Pan.
Confesso que Peter Pan é um clássico que me chama atenção. Já comecei a ler o livro, mas quem disse que eu consigo terminar as coisas ultimamente?

7. Ver a segunda temporada de Stranger Things.
Pois é, meus caros, a segunda temporada de Stranger Things está aí e eu ainda não vi nem um mísero spoilerzinho dela. Estou ansiosa para saber quais são as novas aventuras da melhor grupinho que respeitamos.

8. Começar a ver Anne With An E.
Netflix será uma minha grande parceira nessa férias (junto com a Joana). Anne With An E é aquela série que desejo de começar é grande, mas a preguiça é maior. Espero deixar a preguiça de lado para ver.

9. Ir ao cinema sozinha.
Gostaria de ter minha primeira experiência saindo livre, leve e solta apreciando a sétima arte. Não saio sozinha com frequência, só para comer coxinha e, sinceramente, é legal ter um tempo consigo mesmo.

10. Reler Assassinato no Expresso do Oriente e ver o filme.
Adorei o livro, mas infelizmente não tive a oportunidade de ver o filme em cartaz, então pretendo vê-lo assim que terminar de reler o livro.

11. Tomar vergonha na cara e começar a estudar.
Quem ainda está enrolando horrores para estudar tanto para o ENEM, quanto para o vestibular e porque Katherine? Estava pensando seriamente em deixar tudo para o ano que vem, mas acho que eu só preciso me organizar direitinho que dá tudo certo.

12. Comer coxinha no centro com alguém.
Se tem uma coisa que eu adoro no centro da minha cidade, é o Mini Snack, uma estabelecimento onde vendem coxinhas de copo. Não sei ao certo quem seria meu acompanhante, mas saiba que você está convidada a ir comer no Mini Snack comigo, Joana.

E aí, quais são as suas metas para essas férias? Alguma meta em comum? Me contem! Estou doida para saber. Por enquanto é só, meus caros. Fiquem bem e até mais!

domingo, 24 de junho de 2018

Às vezes eu tenho preguiça de fazer posts

Isso mesmo que você leu: eu tenho preguiça de fazer posts. Tenho várias ideias em mente, textos maravilhosos, projetos fantásticos, mas a vontade de escrevê-los se encontra mínima. Inclusive, comecei um texto para postar aqui há seis dias e até agora não terminei. Vejamos como a preguiça é um hábito ruim: deixar de fazer o que gostamos para não fazer nada se tornou um círculo vicioso. Estou procrastinando há meses para começar a estudar tanto para o ENEM, quanto para o vestibular e cada dia que passa sobe um arrependimento ainda maior por não conseguir estudar como gostaria. Afinal, a pergunta que não quer calar é: por que eu não estudo logo? Talvez porque eu me sinta pressionada demais. Terceirão é assim, meus caros: um novo desafio a cada dia. Confesso que meu terceiro ano não está sendo como o esperado. Se bem que até hoje não sei ao certo o que esperar do meu último ano na escola. Atualmente, a única coisa que espero é não rodar por falta. Mas e vocês, pessoas? Como andam? Muitos desafios pela frente? Muita preguiça? Me contem! Estou doida para saber. Foi isso, meus caros. Até mais!

quarta-feira, 30 de maio de 2018

Five: aqueles músicas 10/10

Olá, meus caros! Tudo bom?
E aí? Como anda a vida? Muito agitada? Por enquanto, meus dias tem sido monótonos. Afinal, minhas aulas só voltam semana que vem devido a greve, o que eu considero algo bom e ruim, já que suponho que minhas férias de inverno tenham ido para o brejo depois dessa. Enfim, hoje resolvi trazer algumas musiquinhas para você. Elas são algumas das minhas preferidas atualmente e as mais tocadas tanto do meu Spotify, quanto no meu celular. Então, bora conferir?

domingo, 20 de maio de 2018

Aquela famosa fase da vida em que você sabe tudo e ao mesmo tempo nada

Olá! E aí? Tudo bem?
Cheguei a conclusão de que tenho preguiça de entrar no computador de vez em quando. Talvez esse seja um dos motivos pela qual eu uso tanto o celular. Além do mais, poucas horas atrás, cheguei a um dilema: estou na fase da vida em que você sabe tudo e ao mesmo tempo nada. Eu sei que quero cursar Escrita Criativa, mas ainda não sei ao certo em que área poderei trabalhar; eu sei que quero escrever, mas não sei o quê; basicamente, é uma vida resumida em sei, mas não sei. Nunca pensei que chegaria a esse ponto, mas ao mesmo tempo me parece algo tão normal. Uma das poucas coisas que tenho em mente ultimamente é se é comum se sentir tão perdido de vez em quando. E vocês? Como se sentem atualmente? Muito perdidos ou muito achados? Me contem. Estou curiosa para saber. Enfim, nos encontramos em breve, meus caros.

segunda-feira, 30 de abril de 2018

Olá, meus caros, quanto tempo!

Faz um bom tempo que não resolvo dar as caras por aqui, então: olá, meus caros, quanto tempo! Mesmo sem dar as caras por um bom tempo, sinto que o blog fez falta nesses últimos anos. Foram muitas mudanças e muitos fatos que aprimoraram meu ser e alteraram meus pontos de vista e por mais que eu escrevesse sempre que desse na telha e fosse à psicóloga toda semana, ainda sinto que faltava algo e, finalmente, posso concluir que o Indie era esse buraquinho da saudade que morava dentro de mim. Bom, não há mais o que dizer além disso, mas saibam que pretendo encontrá-los novamente muito em breve. Afinal, tenho várias peripécias para relatar em Deusa da Destruição e muitas coisas nas quais transformar em palavras por aqui. Enfim, até mais, pessoal!.

sábado, 26 de novembro de 2016

Coisas que você não sabe

Oh, meu caro... Mesmo com meros oito meses de convivência, há tantas coisas que você ainda não sabe sobre minha pessoa. Não que eu goste de bancar a misteriosa, mas você sabe (ou será que não?) que eu insisto em guardar grande parte de mim para mim mesma, mas saiba que hoje resolvi abrir uma exceção para lhe confessar sobre meu verdadeiro eu. Em primeiro lugar, eu não sou tão fofa quanto aparento ser, assim como não sou tão amarga quanto minhas palavras doces. Ironicamente, eu não recebi o apelido de gato em vão, assim como não escolhi adquirir o péssimo hábito de dormir quando deveria estar acordando, pois eu não sei se você sabe, mas a ansiedade, além dos meus pensamentos, costumam espantar algo que chamamos de sono de certo alguém, também conhecido como eu. Não me recordo se já comentei isso com você, mas eu costumo me enrolar nas pessoas. Eu gosto de andar de mãos dadas com as pessoas; gosto de dar e receber abraços, além depositar inúmeros beijos na bochecha de seja lá quem for, mas sabe do que mais eu gosto? Desse seu jeitinho que me encanta, dessas suas palavras que me transformam em uma boba de carteirinha e do seu gato, que é mais esbelto que eu, mas em especial, eu gosto de você. Principalmente de você porque foi você quem me ajudou a me moldar, me montar, me modificar para fazer com que eu me transformasse, inesperadamente, nessa boba apaixonada que sou hoje.

quarta-feira, 2 de novembro de 2016

Prêmios velhos, cumprimentos novos

Oi? Olá? Tem alguém aí? Alguém ainda lê esse troço? Bom, não sei se ainda há alguém por aí, mas confesso que se estou conversando com o nada, saiba que eu acabei de descobrir algo divertido para se fazer nas horas vagas e, quem sabe, nas não-vagas também. Mas e aí, povão? Como anda a vida de você, que permanece (ou não) ativo na blogsfera? Confesso que nesses últimos meses, eu senti uma certa necessidade de fazer mais uma visita ao nosso tão amado Indie, mas ver tantos blogs que eu seguia, acompanhava, admirava e até mesmo me inspirava sumirem magicamente de uma hora para outra fez com que minha animação se esvaísse rapidamente e o desejo árduo de voltar à ativa por aqui também. Bom, não sei o que aconteceu com vocês durante esses meses, mas confesso que sinto que minha vida virou de cabeça para baixo no melhor (e ao mesmo tempo pior) sentido possível. Por fim, sem mais delongas, só vim lhes dar meus mais sinceros cumprimentos, além de lhes apresentar uma nova era, um novo eu e um novo Indie. Primeiramente, após meses longe daqui, ao ler os comentários, acabei notando um prêmio que estava bombando por aqui há um tempo atrás. Prêmio Dardos Bloggers, conhecem? Não? Eu explico o que é: um estrangeiro criou um "selo" e marcou quinze blogs e os blogs marcados indicavam outros quinze assim vai. Qual o objetivo disso tudo? Reconhecer o esforço dos blogueiros em compartilhar seu tempo, ideias, criações e afins com os leitores. Enfim: siga-me os bons?

quarta-feira, 18 de maio de 2016

No final das contas, não é tão ruim assim

Olá, você que está lendo isso! E aí, beleza?
Não vou negar: senti saudades daqui, já que os sentimentos que tenho por esse cantinho são inevitáveis, mas de uns tempos para cá, eu ando dando atenção para algumas coisas a mais, incluindo a escola. Como vocês sabem, esse ano eu entrei no Ensino Médio e não tem sido fácil conviver entre exatas e humanas, ainda mais com as matérias novas, nas quais estão a tão famosa Filosofia, a minha tão amada Sociologia junta da minha cara Literatura e a tão bendita Biologia. Admito que o não estava sendo tão ruim quanto eu imaginava. Tudo bem, tive uma certa dificuldade em me socializar, mas nada que não se resolvesse com o tempo. Agora, já tenho um grupinho na qual eu compartilho balas e ainda divido um salgado no recreio. Acho que estaria mentindo se dissesse que não escrevi um texto aqui e ali nesse meio tempo que estive fora, mas a escrita já está em mim, não há como negar. Enfim, só vim aqui para dar um "olá" para todos vocês. Além do mais, muito obrigado a todos os comentários do post anterior! Acho que não conseguirei respondê-los, me desculpem, mas saibam que eu li todos com muito carinho. Enfim, como anda a vida de vocês? Novidades à vista? Me contem! Por enquanto é só, meus caros. Um beijo, um queijo e até breve!