terça-feira, 29 de janeiro de 2019

Momento Back To The Future: uma playlist dos anos 70 capaz de prever o futuro

E é ao som de Run, do BTS, que eu começo esse post atrasada, para variar. Incrível como eu sempre deixo para fazer as coisas de última hora. Porém, se trata de uma postagem muito especial que eu estou preparando há semanas. Como sempre, o Together está marcando presença aqui no Indie com mais um de seus desafios. A proposta desse mês é usufruir de uma playlist de músicas das décadas passadas na tentativa de "prever nosso futuro" por meio delas. Bom, eu tentei a sorte no aleatório em uma playlist internacional dos anos 70 do Spotify e bom, é aquele ditado: "olha só no que deu".

terça-feira, 22 de janeiro de 2019

Sobre cafeterias do Walmart e entrevistas de emprego

Enfim, a sumida apareceu. Sei que dei uma sumida monstra, mas cá estou eu, de volta à ativa. Acho que posso dizer que aproveitei muito bem esse meio tempo em que sumi. Fiz alguns trailers, desenvolvi uma nova história que está dando muito certo, finalizei uma fanfic de 50 capítulos que terminou em pizza e ainda consegui uma entrevista de emprego marcada para hoje às 16:30 da tarde. Acordei e voltei a dormir inúmeras vezes hoje de manhã e eu cheguei a sonhar com a bendita entrevista. As definições de ansiedade foram atualizadas. Algumas pessoas me desejaram boa sorte na entrevista e isso faz com que eu me sinto estranhamente confiante. Acho que isso é uma coisa boa, né? Sendo a perfeita iludida que sou, já consigo me imaginar trabalhando lá; com direito a avental e meu mais novo fiel escudeiro, também conhecido como meu mais novo par de All Star preto de cano alto. Ei, vocês lembram daquele caderninho que eu comprei na Riachuelo que eu falei no post Sobre cadernetas da Riachuelo e dias entediantes? Resolvi usar ele como meu caderno de viagens, tanto que estou planejando viajar novamente à Caxias do Sul esse final de semana. Pretendo contar todas minhas aventuras pela serra gaúcha nele, mas preciso ser realista e relembrar o fato de que talvez minha missão tenha que ser abortada devido a entrevista, já que eu não sei quando receberei uma resposta, mas pretendo perguntar para a entrevistadora quando ela me retornaria. Enfim, esse foi meu update do mês de janeiro. Pretendo retomar ao meu querido cantinho muito em breve, de preferência com muitas coisas positivas para contar. Enfim, muito obrigada a você que leu até aqui. Espero que você esteja tendo uma ótima semana.

sábado, 29 de dezembro de 2018

Vamos falar um pouco sobre as coisas boas que 2018 me trouxe

É estranho começar uma postagem que você realmente não faz ideia de como começá-la e muito menos como terminá-la, mas saibam que estou dando meu máximo para concluí-la com êxito. Eu dei uma breve sumida de catorze dias, mas aqui estou eu, fazendo o post do Together desse mês. A proposta desse mês é falar o que 2018 nos trouxe de bom e, sinceramente, por mais que eu tenha certeza que aconteceram inúmeras coisas boas esse ano, não consigo relembrá-la no momento, mas tentarei recapitulá-las ao longo desse post.

sábado, 15 de dezembro de 2018

Sobre escritos da semana, playlists infinitas e músicas de formatura

Hoje é uma daqueles finais de semana em que passo a noite sozinha em casa. Meus pais foram ao aniversário da minha vó em um bar de Porto Alegre e bom, eu não me sinto lá muito à vontade em determinadas ocasiões, então resolvi ficar em casa. Ultimamente, tenho me focado bastantes nas minhas histórias, tanto que finalizei A fúria imensurável explicita em folhas pautadas e estou determinada a finalizar O ímpeto findável coligado ao convívio súbito até o fim desse ano. Consegui escrever em torno de umas 186 palavras em Humano Felix, que juntando com as palavras que eu já tinha escrito totaliza um total de 351 palavras e minha média de palavras por capítulo é 1250. Basicamente, podemos dizer que ainda tenho muito o que escrever pela frente. Em relação a música, hoje eu tirei o dia para ouvir a playlist infinita do Spotify e cara, é uma playlist só de k-pop. É basicamente meu sonho de playlist. No momento estou ouvindo Goodbye Summer do f(x) em parceria com o D.O do EXO. Minha formatura é semana que vem e eu ainda não escolhi a música que usarei para entrar. Estou entre No Air do THE BOYZ e High Hopes do Panic! At The Disco. Espero conseguir escolhê-la até semana que vem. Enfim, vamos ficando por aqui. Espero que você esteja tendo um bom final de semana.

terça-feira, 11 de dezembro de 2018

Dizem por aí que propaganda é a alma do negócio

Seria isso uma verdade? Ou uma mera frase de efeito? Enfim, hoje venho aqui para convidá-los novamente a participar do The Breakfast Blogger Club, uma espécie de "projetinho" que eu e a Joaninha do Folk Potato criamos. Para participar, basta responder esse formulário, que é o mesmo que está no gadget ao lado. Simples, rápido e fácil. Bom, era só isso mesmo. Espero que você esteja tendo uma boa semana.

segunda-feira, 10 de dezembro de 2018

Sobre cadernetas da Riachuelo e dias entediantes

Meu pai me comprou um caderninho do Stranger Things que encontrei lá na Riachuelo de Porto Alegre. Ainda estou pensando de que modo irei usá-lo. Pensei em fazer dele meu caderno de leituras, ou um caderno onde eu possa escrever alguns dos meus textos, mas ainda não tenho certeza absoluta sobre o destino da bendita caderneta. Não sei ao certo como proceder com esse post. Sinceramente, minhas aulas acabaram e isso faz com que eu me sinta um tanto entediada por não ter o que fazer no horário da manhã além de dormir. Estou pensando em tentar escrever, mesmo que esteja sem muitas ideias em mentes e travada em Humano Felix mais do que gostaria, ou tentar finalizar alguns pedidos de trailer que se encontram atrasados, além de ler Alice no País do Espelho. Ainda estou à espera de uma resposta da Saraiva, que parece não chegar nunca, mas só fazem quinze dias que eu me inscrevi no processo seletivo. Estou na expectativa de que receberei uma resposta até o final dessa semana, se não é capaz de eu morrer de ansiedade. Enfim, espero que você esteja tendo um bom início de semana.

sábado, 8 de dezembro de 2018

Cuidado com a louca da vaga

Finalmente, minhas aulas acabaram. Posso dizer que estou praticamente formada no Ensino Médio e só irei estudar no cursinho pré-vestibular que pretendo fazer ano que vem. Agora falando da vaga da Saraiva, eu checo o site de inscrição, no mínimo, umas dez vezes por dia. Já perdi a conta de quantas vezes entrei lá com as expectativas nas alturas para chegar a hora e não ver absolutamente nada de novo. Alguns dias atrás, vi que abriu duas vagas para vendedor em dois shoppings distintos da capital. Eu me controlei, juro que me controlei, mas hoje não contive meus nervos e resolvi mandar meu currículo para uma das vagas porque vai que é agora que eles me chamam? Sei que isso é loucura, já que é a quinta vaga na qual eu me candidato em menos de duas semanas, mas eu não consigo racionar que devo deixar uma oportunidade dessas passar. Eu estou louca para trabalhar e ter meu próprio dinheiro, ainda mais quando se trata de um cargo em uma livraria. Afinal, seria maravilhoso não precisar mais viver às custas dos meus pais, sem contar que eu finalmente poderia presenteá-los em datas comemorativas como aniversários, dia dos pais e dia das mães. Eu finalmente me sentiria responsável e até mesmo um tanto quanto adulta tendo um emprego, além de poder pagar meu próprio curso da faculdade. Acho que seria boa parte da realização dos meus sonhos em míseras oito horas e meia de trabalho. Novamente, respondi o questionário de conhecimentos gerais e atualidades do Saraiva, porém houve algo de diferente quando terminei o teste: abriu um outro teste perguntando como eu gostaria que fosse meu modo de contratação e em qual horário eu estaria disponível para trabalhar, que seriam das 10:00 às 18:30 e das 13:40 às 22:00. Escolhi a primeira opção com a ajuda do meu fiel escudeiro, o Polvo do site Pergunte ao Polvo. Esse final de semana minha mãe foi viajar a trabalho e eu e meu pai estamos sozinhos. Estamos vivendo à base de comidas feitas por terceiros. Hoje estamos planejando comer yakisoba no food park aqui perto de casa. Enfim, muito obrigada por ler até aqui. Espero que você esteja tendo um bom final de semana.

quinta-feira, 6 de dezembro de 2018

De um playlist do Spotify para o Indie

Resolvi escutar a bendita playlist do Spotify com as mais tocadas de 2018 e confesso que encontrei coisas preciosas por lá. Desde Blood // Water do Grandson até Drive da Cherry Coke. Sinceramente, recapitular o ano por meio das músicas mais ouvidas por mim é uma retrospectiva melhor do que eu esperava. Além do mais, ontem foi o passeio de formatura da minha turma. Fomos ao Acqua Lokos em Capão da Canoa e foi uma experiência maravilhosa. Além das piscinas, tinham brinquedos, alguns radicais, como a montanha-russa de cobra e um brinquedo em V que eu não sei nem como explicar, mas fez com que eu gritasse aos meus amigos que eu os amava por crer que estava prestes a morrer de medo. Enfim, hoje vos trago algumas das músicas que eu mais gosto dessa playlist.

segunda-feira, 3 de dezembro de 2018

Ainda falando sobre ansiedade e escritos do dia

Cá estamos nós, começando mais uma semana, desta vez, integrada ao mês de dezembro. Por um lado, estou feliz que o ano está acabando; por outro, ainda gostaria que 2018 durasse mais do que meras quatro semanas. Minha ansiedade em relação a vaga da Saraiva continua a mesma. Não faz nem uma semana que eu mandei meu currículo e eu já estou esperando ansiosamente por uma resposta. Acho que sou muito afobada. Por outro lado, escrevi bastante hoje. Escrevi um total de 7 capítulos de O ímpeto findável coligado ao convívio súbito, uma fanfic extremamente dramática na qual eu estou trabalho desde o ano passado. Acabei tomando um rumo completamente diferente do esperado e espero conseguir conduzir a história corretamente. Infelizmente, ainda não consegui proceder em Humano Felix desde que terminei o sexto capítulo, o que me deixa um tanto triste porque é um plot na qual eu gosto muito. Contudo, espero conseguir proceder nas fanfics nos próximos dias, assim como espero que você esteja tendo um bom começo de semana.

domingo, 2 de dezembro de 2018

Foi tão rápido que nem deu tempo de ficar triste quando acabou

E mesmo se desse, acho que eu não me daria ao luxo de ficar chateada por algo tão efêmero. Por outro lado, suponho que seu ponto de vista seja diferente. Perdi a conta de quantas vezes eu desejei saber o que se passava na sua cabeça em relação a mim. Você me disse tantas coisas que não consigo esquecer; você disse que eu ficava ainda mais bonita de cabelo solto, além do fato de você ter dito que você tinha me curtido pra caralho e não sabia expressar isso. Mas ao meu ver, você se expressou do seu jeito, deixando que eu pegasse sua mão e me incluísse em meio ao seu famigerado abraço casa. Eu gostava de me aninhar nos seus braços tanto quanto gostava de andar de mãos dadas com você. Não dá para lembrar de você sem relembrar desse seu abraço. Tenho certeza que você deveria me achar alguém extremamente carente por viver colada em você, mas é que eu gosto de demonstrar afeto por quem eu gosto e eu gostei muito de você. Você foi  a primeira pessoa com que eu me relacionei; você foi a primeira pessoa que eu beijei; você foi meu primeiro segundo amor. Mas, sendo sincera do fundo do meu coração, foi bom enquanto durou e pode ter certeza que eu sempre lembrarei de você com um sorrisinho no rosto.